Enciclopédia do Válvuleiro

Corpo da Válvula Borboleta

Quinta Feira - 28 de Novembro de 2019

corpo da valvula borboleta

O corpo da válvula borboleta parece ser uma peça bem simples, afinal, basicamente é um anel metálico, tem um entalhe ou rabo de andorinha pra alojar a vedação, os furos para a passagem do eixo ou dos eixos que irão sustentar o disco, um flange de acoplamento na parte superior para fixar a placa de travamento ou o atuador e quando a válvula for lug, guias, conhecidas popularmente por orelhas, para cada prisioneiro que une os flanges; porém, existem detalhes que se não forem observados, podem causar problemas.

As normas API 609 e AWWA C504 de construção de válvulas borboleta determinam os parâmetros que devem ser seguidos, tais como face-a-face e espessura de paredes, as normas de flanges, a ASME B16.5, ASME B16.47, MSS-SP 44, DIN PN16 e outras, determinam a quantidade de parafusos e limitam o diâmetro externo do corpo da válvula borboleta em função do circulo de furação dos flanges, essas informações obrigatoriamente devem ser seguidas, caso contrario a válvula esta fora de norma.

O corpo é composto por um anel sólido, aparafusado entre os flanges da tubulação, fazendo também a função de sede fixa, além de ser a peça responsável por sustentar o sistema de acionamento. Dependendo da pressão, temperatura e de quanto o fluido é corrosivo, o corpo pode ser integral num único material ou revestido internamente. Em aplicações com fluidos extremamente corrosivos, o disco de vedação também deve ser revestido.

Além do revestimento fornecer uma proteção contra fluidos corrosivos, garante também a estanqueidade da válvula, pois na posição fechada o disco é forçado contra o revestimento, proporcionando uma ótima estanqueidade a prova de vazamentos em toda sua borda.

Quando a vedação macia encontra-se com o corpo, a borda do disco deve ser em forma de raio e polida, o que reduz o torque operacional e diminui o desgaste da vedação. As válvulas borboleta que possuem esse tipo de vedação dispensam o uso de juntas entre a válvula e os flanges da tubulação.

Esse tipo de vedação desempenha as seguintes funções:
Vedação entre o corpo e o disco em ambos os sentidos;
Vedação primária entre o corpo e a haste de acionamento;
• Protege a superfície interna do corpo da válvula pois o fluido não entra em contato com o corpo;
Vedação entre o corpo e os flanges da tubulação, não é necessário o uso de juntas.

Tanto o corpo quanto o disco podem ser revestidos com materiais apropriados para trabalhar com fluidos corrosivos, isso reduz o preço da válvula, que pode ser fabricada em materiais como aço carbono ou ferro fundido ao invés de usar ligas de aço especiais que resistem a esses fluidos corrosivos mas que possuem o preço extremamente elevado, a seleção de materiais para o corpo é baseada somente em sua resistência mecânica e em seu preço.

O corpo da válvula pode ser integral ou bipartido, com ou sem revestimento. Quando é integral e revestido, o revestimento só pode ser feito com um material que seja suficientemente maleável para ser introduzido dentro do corpo da válvula.
Revestimentos rígidos, como o PTFE ou o NYLON, só podem ser montados em válvulas que possuam o corpo bipartido.

Nas válvulas em que o revestimento do corpo é feito com borracha maleável, e a sua construção é do tipo wafer ou lug, somente devem ser instaladas entre flanges integrais do tipo “com pescoço” (welding neck), pois o diâmetro interno desse modelo de flange coincide com o da sede da válvula, nunca usar com flange sobreposto (slip on), pois o diâmetro interno desse modelo de flange é maior do que o do flange com pescoço e isso pode prejudicar o este revestimento sempre que a válvula for acionada, além de diminuir a área de contato com a face de vedação do revestimento.

Se você gostou desse artigo, achou interessante ou se ele te ajudou de alguma forma, nos de um retorno para que possamos melhorar ainda mais os nossos conteúdos, enviem sugestões de assuntos para elaboração de posts, se tiverem dúvidas, por favor, fiquem a vontade para nos ligar ou nos envie a dúvida por e-mail.



Não se esqueça... A curiosidade é que move o mundo!

Acompanhe o grupo Micro Rio:
www.fb.com/microriovalvulas
www.instagram.com/microriovalves
www.linkedin.com/company/microrio/
www.twitter.com/microriovalves

Conteúdo relacionado: