Enciclopédia do Válvuleiro

Por que utilizar uma Válvula Bipartida?

Segunda Feira - 3 de Junho de 2019

valvula bipartida

As válvulas de esfera bipartidas vem ganhando cada vez mais força no mercado por serem uma forte opção para serem utilizadas no lugar das válvulas de gaveta, pois ocupam menos espaço e pesam menos. Sua abertura ou fechamento completo que é rotativo, é realizado com apenas ¼” de volta, e é muito mais rápido que o da válvula gaveta.

A Válvula de Esfera Bipartida é dividida em duas partes como o próprio nome já diz. É formada por um corpo e uma tampa. Pode ter montagem flutuante ou trunnion e são assimétricas em relação a geometria do corpo e tampa, o corpo é maior pois nele é montada a haste de acionamento e a esfera, que praticamente fica alojada dentro do mesmo. A união entre o corpo e tampa é realizada por meio de parafusos ou estojos e porcas.

As normas de construção mais utilizadas para esse tipo de válvula são a ASME B16.34, API 6D, BS 17292 e ABNT NBR 14788.
No grupo Micro Rio as válvula de esfera bipartida são produzidas nas bitolas de 2 a 8”, e estão disponiveis nas classes de pressão de 150 e 300lbs, com diferentes tipos de materiais como aço carbono e aço inox 304 (Cf8) e 316 (CF8M).
As válvulas de esfera bipartidas tambem podem ser fabricadas nos tamanhos de 2” até 60” polegadas e nas classes de pressão de 150 a 2500 e em diversos materiais como: aço carbono, aço inox, aço liga, bronze, latão e polipropileno.

Por serem válvulas com uma grande variedade de tamanhos, classes de pressão e funcionalidades, atendem as mais variadas situações, podendo ser utilizada em indústrias de petróleo, óleo e gás, mineração, química e petroquímica, alimentícia, usinas de álcool, geração de energia, papel e celulose, saneamento básico, construção civil, equipamentos industriais, construção naval, siderurgia, etc.

A conexão deste modelo de válvula com a tubulação, se da através de flanges. Que formam uma peça em forma de disco que possui furos igualmente espaçados em um padrão circular, nas válvulas o flange normalmente é fundido ou forjado integralmente com a carcaça da válvula, pode também ser soldado nas extremidades da mesma. A união na tubulação é realizada por meio de estojos e porcas ou parafusos. As normas para flanges são a ASME B16.5; ASME B16.42; MSS-SP 44 etc. A válvula também pode ser soldada na tubulação, neste caso, as extremidades devem ser BW (Buttwending Ends), ou seja, extremidades para solda de topo, esse tipo de extremidade consiste na usinagem de um chanfro nas extremidades da válvula que serão soldadas em tubos que possuam chanfros com as mesmas medidas, esse tipo de extremidade é utilizado em processos muito severos ou perigosos aonde não pode haver vazamento para o meio externo em hipótese nenhuma. A norma para extremidades BW é a ASME B16.25.

Ficou com alguma dúvida ou tem alguma sugestão de tema para nosso próximo artigo? Clique aqui e envie para a gente.



Não se esqueça... A curiosidade é que move o mundo!

Acompanhe o grupo Micro Rio:
www.fb.com/microriovalvulas
www.instagram.com/microriovalves
www.linkedin.com/company/microrio/
www.twitter.com/microriovalves

Conteúdo relacionado: