Enciclopédia do Válvuleiro

Válvulas borboleta conforme ABNT NBR 15768

Terça Feira - 17 de Março de 2020

valvula borboleta abnt

Nesse post vamos analisar as válvulas borboleta com construção conforme a norma brasileira ABNT NBR 15.768. A norma ABNT NBR 15.768Válvula borboleta de ferro fundido nodular para saneamento, teve a sua primeira edição lançada em 22 de novembro de 2009.

Esta norma estabelece os requisitos para fabricação, inspeção e recebimento de válvulas borboleta, com vedação resiliente, fabricadas no material ferro fundido nodular para propósitos gerais em processos de saneamento. Os tamanhos de válvulas cobertos por essa norma são os seguintes: DN 2, 3, 4, 5, 6, 8, 10, 12, 14, 16, 18, 20, 24, 28, 30, 32, 36, 40, 42, 48, 54, 56, 60, 64, 66, 72 e 80.

Salvo solicitação contrária por parte do comprador, os materiais que devem ser utilizados para a fabricação das válvulas são especificados na norma e devem atender as propriedades mecânicas e composição química conforme as suas respectivas normas, conforme segue abaixo:

Corpo: Ferro fundido nodular ASTM A 536 grau 65-45-12, 70-50-05 ou 80-55-06;
Eixos: Aço inoxidável com no mínimo 12% de cromo, que pode ser o AISI 410 ou AISI 420;
Obturador: Ferro fundido ASTM A 536 grau 65-45-12 ou aços inoxidáveis ASTM A 351 Gr. CF8 ou CF8M;
Mancais: Devem ser fabricados de materiais autolubrificantes;
Elementos de vedação: Os elementos de vedação devem ser fabricados em materiais compatíveis com a utilização em água potável;

Placa de identificação: deve ser de aço inoxidável ou alumínio.
O item ‘5.4-Disposições construtivas’ foi muito bem elaborado e funciona como uma lista de checagem de projeto de tal forma que é uma excelente ferramenta de auxilio aos projetistas e engenheiros para a elaboração e/ou conferencia de um projeto, começa fornecendo uma das informações mais importantes de um projeto de válvula industrial: o face-a-face, a norma ABNT NBR 15768 fornece as dimensões de face-a-face e as tolerâncias para todos os tipos de extremidades mencionadas na norma, e as relaciona em tabelas que mencionam as normas AWWA C504, API 609, ISO 5752, EN 558-1 e EN 558-2 e todas as variações dessa dimensão que essas normas determinam. Aborda o dimensionamento e normas dos flanges das extremidades para as válvulas que possuam esse tipo de extremidade, espessura de paredes do corpo, os dois cubos do corpo por onde irão passar o eixo, caso esse seja uma única peça, ou os dois eixos, caso sejam eixo superior e eixo inferior, sistema de apoio para válvulas de tamanhos DN 16 e maiores, para que as válvulas fiquem em pé sem que seja necessário o uso de apoios, parâmetros do desenho do obturador, das juntas de vedações e anéis de vedação, dimensionamento e montagem do eixo ou dos semieixos, seleção de atuadores, uso de revestimentos quando solicitado, e muitas outras informações relevantes.

As inspeções e ensaios que devem ser realizados durante a fabricação estão todos reunidos em uma única tabela que fornece todas as diretrizes a serem seguidas, essa tabela oferece praticidade e segurança para os setores que são responsáveis pelas inspeções e testes, pois reúne todas as informações necessárias para essas atividades.

A norma ABNT NBR 15768, apesar de ter onze anos e não ter passado por nenhuma revisão nesse período, possui uma linguagem ainda atual e fornece ótimos parâmetros de projeto de uma forma muito clara, consistente e completa, não deixa nada a desejar para qualquer norma internacional.

Se você gostou desse artigo, achou interessante ou se ele te ajudou de alguma forma, nos de um retorno para que possamos melhorar ainda mais os nossos conteúdos, enviem sugestões de assuntos para elaboração de posts, se tiverem dúvidas, por favor, fiquem a vontade para nos ligar ou nos envie a dúvida por e-mail.



Não se esqueça... A curiosidade é que move o mundo!

Acompanhe o grupo Micro Rio:
www.fb.com/microriovalvulas
www.instagram.com/microriovalves
www.linkedin.com/company/microrio/
www.twitter.com/microriovalves

Conteúdo relacionado: