Enciclopédia do Válvuleiro

Ensaio não destrutivo: Emissão Acústica

Segunda Feira - 15 de Julho de 2019

ensaio não destrutivos - acústico

Grandes estruturas como guindastes, pontes e outros tipos de grandes construções da engenharia podem ser difíceis alvos da inspeção por conta da necessidade de garantir que a integridade da obra continue a mesma após testes. Nesse sentido, as estruturas precisam ficar de pé e a inspeção nelas é essencial para mantê-las em funcionamento sem riscos de segurança.

Assim, um ensaio não-destrutivo foi pensado com o intuito de suprir essa demanda, cumprindo uma análise sem que fosse necessário a desconstrução de um sistema ou estrutura todo. Neste artigo falaremos sobre o ensaio não-destrutivo de emissão acústica, um método particular usado para grandes construções que permite uma manutenção e identificação de problemas sem desconstrução de estruturas ou desmonte delas.

Por serem grandes estruturas, elas podem estar submetidas a vários problemas como a propagação de trincas por fadiga, quebra de locais com tensão ou outros tipos de danos. Usualmente, espera-se que a inspeção seja realizada por amostragem dentro do sistema e trabalhe com estatística e histórico de falhas, além de outras análises.

Em particular, um tipo de técnica é bem comum nesse caso: a técnica de emissão acústica. O principal princípio envolvido nessa técnica é o de detecção de ondas transientes. Elas são detectadas por meio do processo de degradação do material a qual a estrutura é composta.

Essas ondas são geradas a partir de tensões mecânicas postas e forçadas sobre uma estrutura. A ideia da emissão acústica é garantir a segurança, monitorando uma estrutura de modo não intrusivo e sem a necessidade de desconstruí-la. O monitoramento por meio desse método localiza regiões de uma estrutura onde existem problemas e danos, como trincas ou fissuras.

Por localizar regiões específicas de uma estrutura ou de um sistema industrial, esse tipo de ensaio não-destrutivo evita a intrusão e o uso desnecessário de equipamentos que podem danificar uma construção.

Em linhas gerais, uma avaliação por meio desse método não intrusivaestá relacionada com o tamanho do que se mede: não há 100% de certeza sobre o que se está analisando, pois a amostragem é diretamente proporcional à confiabilidade do processo. A técnica de emissão acústica é usada principalmente porque melhor atende aos requisitos de não intrusão no sistema. Poderíamos dizer que a característica mais importante da técnica de emissão acústica está no fato de que ela detecta falhas em regiões onde as tensões estão mais concentradas. Nesse sentido, essas falhas geralmente estão relacionadas com altas cargas ou descontinuidades em uma estrutura muito grande.





Não se esqueça... A curiosidade é que move o mundo!

Acompanhe o grupo Micro Rio:
www.fb.com/microriovalvulas
www.instagram.com/microriovalves
www.linkedin.com/company/microrio/
www.twitter.com/microriovalves

Conteúdo relacionado: